VOCÊ SABE O QUE É MARKETING DE EMBOSCADA?

Marketing de emboscada é uma estratégia que consiste em tirar proveito publicitário invadindo um evento ou espaço de um veículo de comunicação sem amparo contratual com os detentores do direito, sem a devida autorização dos realizadores para tanto.

São exemplo de marketing de emboscada:

mkt-emboscada

Durante a Eurocopa, em 2012, ficou famoso o caso do atleta dinamarquês Nicklas Bendtner, que foi punido pela UEFA por ter comemorado um gol contra Portugal exibindo uma cueca com propaganda do site de apostas Paddy Power.

mkt-emboscada3

Em 1996, O velocista americano Michael Johnson quebrou um recorde mundial cruzando a linha de chegada com um belo par de Nikes dourados. Mais tarde, ele foi capa da revista Time com os tênis envoltos no pescoço, junto com suas duas medalhas de ouro. Uma visibilidade e tanto, para a tristeza da Reebok, que pagou 20 milhões de dólares para ser patrocinadora oficial dos Jogos.

Os detentores de direitos exclusivos para o uso dos símbolos oficiais, das marcas, da alusão direta aos eventos – os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo – são o Comitê Olímpico Internacional (e suas extensões nacionais) e a FIFA, que autorizam entidades, as empresas patrocinadoras oficiais de tais eventos, que investem grandes quantias para tornar possível a sua realização. Recebem a exclusividade do uso – e exploração comercial – direta dos eventos.

Lei nº 4.680

“Artigo 31 Este Código condena os proveitos publicitários indevidos e ilegítimos, obtidos por meio de “carona” e/ou “emboscada”, mediante invasão do espaço editorial ou comercial de veículo de comunicação.

Parágrafo único

Consideram-se indevidos e ilegítimos os proveitos publicitários obtidos:

  1. mediante o emprego de qualquer artifício ou ardil;
  2. sem amparo em contrato regular celebrado entre partes legítimas, dispondo sobre objeto lícito;
  3. sem a prévia concordância do Veículo de comunicação e dos demais titulares dos direitos envolvidos.”

O COI – Comitê Olímpico Internacional, o COB – Comitê Olímpico Brasileiro e a FIFA vêm demonstrando posicionamento rigoroso e pró-ativo no combate a tais práticas ilícitas. Dificilmente um aproveitamento ilícito passará ileso, e é certo que o tema visitará nossos tribunais país afora em conjunto com esses eventos nos próximos anos.

 

Posted on 8 de novembro de 2016 in Artigos

Share the Story

Back to Top